21/02/18

Cinema | Curtas á Quarta No Arco 8 | 21 de fevereiro | 21h30 | Galeria Arco 8 | Ponta Delgada



PROGRAMA

SINTOMA DE AUSÊNCIA de Carlos Melim
15 minutos, 2015

Confrontada com uma má disposição súbita, Isabel decide despistar a hipótese de uma gravidez inesperada através de um teste barato comprado numa farmácia. O resultado é pouco claro, insuficiente para ter alguma certeza. Sem esperança de revêr o antigo companheiro, sendo que pode estar grávida ou doente, Isabel mergulha num vazio de solidão e desespero, confiando exclusivamente em Rita, a sua amiga mais chegada.
_
MARASMO de Gonçalo Loureiro
15 minutos, 2015

José é um camionista de longo curso. Forçado pelo trabalho, vai-se afastando dos elementos da sua família até ao ponto em que só sente indiferença por eles.
_
TU de Hugo Pinto
10 minutos, 2016

“Tu” é uma história de amor, que acontece no momento em que a última coisa que queres é apaixonar-te, e no entanto apaixonar-te pode ser tudo o que precisas para continuar a viver.
_
CEDRIM de Diogo Vale
17 minutos, 2017
_
Ouvimos foguetes, mas o tom não é de festa. Numa pequena aldeia, encontram-se um rapaz e uma rapariga. Ela é de lá, ele é da cidade. Vão velar a morte de alguém, ao mesmo tempo que a aldeia celebra a vida. O rapaz é introspetivo, enquanto a longa viagem nos revela a sua solidão: como ele depois dirá "hoje é o dia da troca", deixa o pai e fica com a mãe. As imagens impressivas que ele vê da janela do carro são um espelho da sua confusão. A rapariga, por outro lado, tem uma rebeldia do campo: mostra-se mais empática, até explicativa. É com ela que entramos numa liberdade campestre: os dois acabam a brincar pelas árvores, simulando uma amizade sem limites. Mas ao final do dia, ele voltará para a cidade, ela continuará ali.
_
ALFAIÃO de André Almeida Rodrigues
13 minutos, 2017
No campo pintado de branco pela geada, os pássaros cantam enquanto ludibriam o caçador que se aquece nos primeiros raios solares. Na lareira, a madeira crepita no fogo e aquece o idoso que faz a sesta na companhia do seu gato. Estamos na aldeia, onde há sempre muito calor apesar do frio e de a chuva cair de vez em quando. Esta aldeia é Alfaião.
_
CARGA de Luis Campos
15 minutos, 2017
Numa pequena vila piscatória, dois rapazes são forçados a tomar parte activa no tráfico de substâncias ilícitas.
Quando o mais velho prepara um plano de fuga, o mais novo vê-se obrigado a lidar com as adversidades de ser deixado para trás.

Conferências | Saberes da Terra | 24 de Fevereiro | 15h00 | Museu de Angra do Heroísmo

No próximo sábado, dia 24, pelas 15h00, o Museu de Angra do Heroísmo encerra o ciclo de conferências Saberes da Terra, dinamizado no âmbito do programa de dinamização da exposição Instrumentos de Trabalho ou de Cultura, com uma comunicação de Francisco Cota Rodrigues subordinada ao tema Contaminação de Aquíferos.

A entrada decorre em regime de livre acesso.

A exposição em causa encerrará no domingo, dia 25 de fevereiro.

Lembramos que hoje, pelas 20h00, decorrerá mais uma Conferência na Boa Nova:  Rituais de Poder: O Fascínio das Armas Orientais, pelo colecionador Jorge Caravana. Os espaços expositivos e as reservas de armas  ligeiras, pesadas e uniformes estarão abertos e são passíveis e ser visitados gratuitamente das 20h00 às 23h00.

20/02/18

Música | Concerto | Trio Fragata | 24 de fevereiro | 22h00 | Auditóro da Rádio Clube de Angra | Angra do Heroísmo


Arquivo | “Dia Aberto do Arquivo”, Visita guiada por Fátima Simão | 23 de Fevereiro | Biblioteca Pública e Arquivo Regional Luís da Silva Ribeiro | Angra do Heroísmo

“Dia Aberto do Arquivo”
- Visita guiada por Fátima Simão -
Data: 23 de fevereiro
Hora: das 9:00 às 19:00
Local: Biblioteca Pública e Arquivo Regional Luís da Silva Ribeiro
Público-alvo: População escolar e público em geral
Mediante inscrição prévia (295 401 000)

A Biblioteca Pública e Arquivo Regional Luís da Silva Ribeiro terá uma visita guiada por Fátima Simão, aos documentos e aos serviços prestados pelo Arquivo. Desta visita consta a apresentação de um filme de 5 minutos de divulgação do arquivo; uma visita ao open space de arquivo, digitalização e uma visita aos depósitos, expurgo e encadernação.
Fátima Conceição Morais Simão é Assistente Técnica de Arquivo, na Biblioteca Pública e Arquivo Regional Luís da Silva Ribeiro.
Tem uma Licenciatura em Ciências da Informação e Documentação, com Pós-graduação em Estudos de Património.

Conferências | Boa Nova | "Rituais de Poder: O Fascínio..." | 21 de fevereiro | 20h00 | Núcleo de História Militar Manuel Coelho Baptista de Lima


O Museu de Angra do Heroísmo promove na próxima quarta-feira, dia 21 de fevereiro, pelas 20h00, mais uma Conferência na Boa Nova, desta vez subordinada ao tema Rituais e Poder: O Fascínio das Armas Orientais.

Partindo da definição de colecionismo, o conferencista Jorge Caravana passará em revista as coleções de armaria e mais particularmente de armas orientais pertencentes a museus e a privados, entre as quais a sua, que, elegendo armas brancas ligadas à expansão Portuguesa pelo Oriente, assume especial relevância ao documentar por esta via a simbiose cultural decorrente dos Descobrimentos.

Os espaços expositivos e as reservas de uniformes, armas ligeiras e armas pesadas são passíveis de ser visitados das 20h00 às 23h00 em regime de livre acesso.


16/02/18

Filosofia para Crianças no Museu de Angra do Heroísmo | 17 de fevereiro | 11h00 | Núcleo de História Militar Manuel Coelho Baptista de Lima | Angra do Heroísmo


Decorrerá amanhã, dia 17 de fevereiro, pelas 11h00, no Núcleo de História Militar Manuel Coelho Baptista de Lima, mais uma sessão de Filosofia para Crianças em que se falará de perguntas e de conhecimento.

Nas sessões, a facilitadora Ana Lúcia Ribeiro convida as crianças a estabelecer relações entre o pensado e o verbalizado, levando em atenção as contradições entre as vozes e incentivando todos a expressarem-se. Os possíveis diálogos resultam dos estímulos apresentados e das questões colocadas pelas crianças e “navegam” sobre temas como o sentido da vida, a ação, o pensamento, as emoções, o poder, a responsabilidade, a arte, entre outros de natureza filosófica.

Público-alvo: crianças entre os 8 e os 12 anos.
Facilitadora: Ana Lúcia Ribeiro, licenciada em Psicologia (UL), pós-graduada em Filosofia para Crianças (UA), frequenta um curso de Filosofia para Crianças, em formato e-learning pelo Centro de Filosofia para Ninos – Madrid.

A participação na oficina implica o pagamento à formadora de 2.50 euros por sessão

Literatura | “Encontro com o Escritor”, Alice Vieira | 19 e 20 de Fevereiro | Biblioteca Pública e Arquivo Regional Luís da Silva Ribeiro | Angra Do Heroísmo


“Encontro com o Escritor”,
Alice Vieira

Data: 19 e 20 de fevereiro
Hora: dia 19 e 20 -  4 Sessões para as escolas; dia 20, às 18:00 – Sessão para o público em geral
Local: Biblioteca Pública e Arquivo Regional Luís da Silva Ribeiro
Público-alvo: Público escolar e público em geral

A Biblioteca Pública e Arquivo Regional Luís da Silva Ribeiro promove mais um “Encontro com o Escritor”, com a presença de Alice Vieira, autora portuguesa de diversos géneros literários. É uma escritora muito premiada e cuja escrita se centra mais na literatura infantojuvenil. As sessões serão moderadas por Cristina Ribeiro.

Alice Vieira nasceu em 1943, em Lisboa. É licenciada em Filologia Germânica pela Faculdade de Letras de Lisboa.
Iniciou a sua carreira de jornalista aos 18 anos, no “Diário de Lisboa”. Trabalhou em vários jornais, entre os quais o “Diário de Notícias”, a cuja redação pertenceu até 1990, data em que deixou o jornalismo diário, para ficar como” free-lancer”, sendo durante muitos anos colaboradora do “Jornal de Notícias” e da revista “Activa”.
Em 1979 publicou o seu primeiro romance juvenil — “Rosa, Minha Irmã Rosa” — que nesse ano ganhou o “Prémio de Literatura do Ano Internacional da Criança”.
Desde então tem publicado regularmente romances juvenis, poesia, teatro, recolhas de histórias tradicionais, livros infantis. O seu último livro para jovens é “Diário de um Adolescente na Lisboa de 1910”, publicado em 2016.
Recebeu o prémio Calouste Gulbenkian em 1983 pelo seu livro “Este rei que eu escolhi”; o Grande Prémio Gulbenkian pelo conjunto da obra (1984); o Prix Octogone pela edição francesa de “Os Olhos de Ana Marta” (2000); a “Estrela de Prata do Prémio Peter Pan” pela edição sueca de “Flor de Mel”, o Prémio Henriqueta Lisboa” em 2016 pela edição brasileira de “Meia Hora Para Mudar a Minha Vida”, e foi várias vezes distinguida com o Prémio Corvo Branco, atribuído pela Biblioteca Internacional da Juventude  de Munique.
Ultimamente tem-se também dedicado à literatura para adultos, com quatro volumes de crónicas (“Bica Escaldada”, “Pezinhos de Coentrada” , “O Que Se Leva Desta Vida, e “Só Duas Coisas Que  Entre Tantas Me Afligiram””), o romance histórico “Os Profetas”, uma biografia da escritora inglesa Enid Blyton, o livro autobiográfico “Histórias da Avó Alice”, três livros de poemas -- “Dois Corpos Tombando na Água” (Prémio Maria Amália Vaz de Carvalho em 2007) , “O Que Dói às Aves”, e “Os Armários da Noite” (finalista do Pen Club em 2016)—e o livro “TEJO”, juntamente com o fotógrafo brasileiro Neni Glock.  Participou ainda, com mais seis autores, em romances coletivos como “Novos Mistérios de Sintra”, “O Código de Avintes”, “Eça Agora”, “13 Gotas ao Deitar” e, mais recentemente, “A Misteriosa Mulher da Ópera”.
Orienta regularmente oficinas de escrita criativa.

15/02/18

Peça de teatro | A Noite Da Dona Luciana De Copi | 24 de Março | 21h30 | Auditório do Ramo Grande | Praia da Vitória


Desenho | Sketching Na Boa Nova | 18 de fevereiro | 10h00 | Núcleo de História Militar Manuel Coelho Baptista de Lima | Angra do Heroísmo



Se gosta gosta de desenhar, o Museu de Angra do Heroísmo e os Urban Sketchers Terceira convidam-no a vir ao Núcleo de História Militar Manuel Coelho Baptista de Lima e a encontrar-se com outros sketchers urbanos. Conviva com quem tem o mesmo gosto por esta modalidade artística e aproveite para conhecer a colecção de militaria do MAH, distinguida em 2017 pela Associação Portuguesa de Museus (APOM) como a melhor colecção visitável nacional.