18/07/18

Concerto | Éme | 21 de Julho de 2018 | 23h00 | Arco 8 | Ponta Delgada


Ainda com o aclamado "Domingo à Tarde" (2017) na ponta da língua, Éme traz-nos um espectáculo de partilha de canções com a artista e cantautora Moxila, assim, à guitarra e voz de Éme juntam-se mais uma voz, um cavaquinho, uma flauta e até ocarina e alguns beats.
Mas, acima de tudo, junta-se um punhado de canções, canções de outros trabalhos de ambos, canções tradicionais como se fossem deles, canções deles como se fossem tradicionais e, quem sabe algumas novidades.
Na Arco 8 estreia-se ao vivo no arquipélago dos Açores todo este repertório que tem sido construído ao longo de um ano de vários concertos pelo continente e Madeira.
A segunda parte ficara a cargo do semi-tropical e mui competente DJ Milhafre

Entrada 7€ 

Cinema | Paraíso Perdido | 18 de Julho de 2018 | 21h30 | Arco 8 | Ponta Delgada



PARAÍSO PERDIDO de Oliver Victoria
Portugal/México, 2017, 91 minutos. 
Realizado nos Açores, Paraíso Perdido faz uma reconstrução da mitíca Atlântida. 

Entrada Livre

17/07/18

Workshop | Cestaria em Vimes | 8, 15 e 22 de Setembro de 2018 | 9h00 às 17h00 | CRAA | Ponta Delgada


Conferência | As casas de Câmara e cadeia nos Açores - séculos XV-XVIII | 20 de Julho de 2018 | 17h00 | Biblioteca e Arquivo Regional Luís da Silva Ribeiro | Angra do Heroísmo


A Biblioteca Pública e Arquivo Regional Luís da Silva Ribeiro realiza uma conferência em que Mateus Laranjeira abordará as casas de câmara e cadeia nos Açores.
A sua evolução ao longo dos séculos constitui uma tipologia específica da arquitetura civil, um modelo que teve as suas raízes em Portugal, no século XIV, chegando aos Açores já consolidada, a partir da 2.ª metade do século XV, acabando depois por ser abandonada no século XIX.
Na ilha Terceira, as casas de câmara e cadeia de Angra e da Praia foram construídas no 1.º quartel do século XVII, verificando-se que a câmara da Praia se apresenta, hoje, como o exemplar mais antigo existente no arquipélago. Nos meados do século XIX, a casa da câmara de Angra foi substituída pelo atual edifício.