05/05/10

Programação da 4ª Extensão do INDIE LISBOA

Sexta-feira, 7 de Maio (21h)

La Harde (curta-metragem)









O último dia de juventude de quatro rapazes. Uma floresta, uma pistola, e um encontro inesperado.

Ficção, França 2009, 20', 35mm
Argumento: Kathy Sebbah 
Fotografia: Javier Ruiz Gomez 
Música: Mathieu Boogaerts 
Som: Julien Brossier 
Montagem: Mathilde Morieres 
Com: Baptiste Ouvrard, Elliot Broué, Renat Shuteev, Thomas Bourgon 
Produtor: Emmanuel Chomet 
Produção: Ecce Films


CRNCI
The Blacks (longa-metragem)
Um olhar sobre os horrores da Guerra dos Balcãs, através de uma história implacável de soldados em missão derradeira, levados a extremos psicológicos pela pressão do trabalho. As tréguas foram assinadas recentemente e o esquadrão conhecido por The Blacks, que costumava fazer todo o “trabalho sujo”, precisa de ser dissolvido. Apesar do cessar-fogo, Ivo, o líder que perdeu três dos seus soldados, prepara uma operação para recuperar esses cadáveres, que estão numa floresta minada. Os membros do esquadrão que sobreviveram, torturados pelas suas dúvidas pessoais e pela culpa, entram em acção. A dupla de realizadores-argumentistas utiliza uma estrutura de inversão, começando com a missão que acaba em tragédia ao fim de 20 minutos, para regressar ao dia anterior e explicar o que os levou até ali. O filme vai da tentativa de resgate até um retrato mais profundo dos demónios interiores presentes nestes soldados: parecem tão atormentados quanto os que torturaram e mataram num sítio a que chamam “a garagem”. No campo de batalha, descobrem que o inimigo que procuram está no sítio onde eles menos esperam: dentro de si próprios.

Ficção, Croácia 2009, 78', 35mm
Argumento: Goran Devic, Zvonimir Juric 
Fotografia: Branko Linta 
Música: Jura Ferlina, Pavao Miholjevic 
Som: Dubravka Premar, Henri Puizillout 
Montagem: Paris-Brest Productions, Vanja Sirucek 
Com: Emir Hadžihafizbegovic, Ivo Gregurevic, Krešimir Mikic, Nikša Butijer, Rakan Rushaidat, Saša Anocic, Stjepan Pete 
Produtor: Ankica Juric Tilic 
Produção: HRT, Kinorama


Sábado, 8 de Maio (21h) 

Nanjing! Nanjing!
City of Life and Death (longa-metragem)









Um grandioso épico que entra directamente para a lista dos melhores filmes de guerra dos últimos anos. A acção passa-se em 1937, no auge da Segunda Guerra Sino-Japonesa. O Exército Imperial Japonês acaba de tomar Nanquim, que era então a capital da China. O que se seguiu foi “o Massacre de Nanquim”, nome por que ficou conhecido o período de várias semanas durante as quais um número massivo de prisioneiros de guerra chineses e civis foram mortos. O filme conta a história de várias figuras, algumas históricas, outras ficcionais, incluindo um soldado chinês, uma professora, um soldado japonês, um missionário estrangeiro, e John Rabe, um homem de negócios nazi, que em última instância acabaria por salvar milhares de civis chineses. O filme passou vários meses a ser analisado pelos censores chineses, até à sua aprovação. Tornou-se um sucesso de bilheteira na China, apesar de ter gerado alguma controvérsia interna por ter recusado uma visão simplista e maniqueísta dos militares japoneses.

Ficção, China 2009, 135', 35mm
Argumento: Lu Chuan 
Fotografia: Cao Yu 
Música: Liu Tong 
Som: Qizhen Lai 
Montagem: Teng Yu 
Com: Hideo Nakaizumi, Ye Liu, Yuanyuan Gao 
Produtor: Han Sanping, John Chong, Lu Chuan 
Produção: China Film Group



Domingo, 9 de Maio (21h)

KOKON
COCOON (curta-metragem)









Uma história de crescimento filmada com enorme intimidade, que trará à memória a importância de um novo corte de cabelo numa adolescente.

Ficção, Alemanha, França 2009, 7', 35mm
Argumento: Till Kleinert
Fotografia: Tom Akinleminu
Música: Conrad Oleak
Som: Matthias Kaatsch
Montagem: Till Kleinert
Com: Charlotte Wendt e estudantes da turma 10A de/and students of class 10A of Mendelssohn-Bartholdy-Gymnasium Berlin Prenzlauer Berg, Julius Kunze
Produtor: Anna De Paoli
Produção: Deutsche Film- und Fernsehakademie Berlin (dffb)



Le jour où Dieu est parti en voyage (longa-metragem) 










Sem sentimentalismos e com uma maturidade rara numa primeira obra, estreia na realização do experiente director de fotografia Philippe Van Leeuw acompanha uma mulher à medida que o horror se abate sobre o seu mundo (o filme encena um episódio ocorrido durante o genocídio no Ruanda em 1994). Jacqueline é uma jovem tutsi que trabalha para uma família belga, em Kigali, como ama das crianças. Em Abril de 1994, nos primeiros dias do genocídio, quando os assassinos em fúria se aproximam, os membros da família fogem, abandonando a casa e deixando Jacqueline a tremer, escondida sobre o tecto falso. No dia seguinte, ao amanhecer, Jacqueline sai do seu esconderijo. Expulsa da casa onde toda a sua família foi morta, esconde-se nas profundezas da floresta. Aí encontra um fugitivo, como ela, em agonia à beira da água…

Ficção, Bélgica, França 2009, 100', 35mm
Argumento: Philippe Van Leeuw
Fotografia: Marc Koninckx
Música: Annonciata Kalamiza
Som: Paul Heymans
Montagem: Andrée Davanture
Com: Afazali Dewaele, Lola Tuyaerts, Ruth Keza Nirere
Produtor: Patrick Quinet, Toussaint Tiendrebeogo 
Produção: Artémis Productions, MK2 Productions


4 comentários:

Anónimo disse...

I like use viagra, but this no good in my life, so viagra no good.

Anónimo disse...

La ringrazio per Blog intiresny

Anónimo disse...

http://site.ru - [url=http://site.ru]site[/url] site
site

Anónimo disse...

http://site.ru - [url=http://site.ru]site[/url] site
site